Esqueça o Currículo, Consiga o Emprego Voltar

 

Ideias Fundamentais
• Empresas vetam logo de cara e meticulosamente os candidatos inadequados, porque as
más contratações custam tempo e dinheiro.
• Não seja aquele tipo de funcionário que não tem paixão e propósito e quer apenas bater
o ponto.
• Em vez disso, seja “autêntico”, crie “conexões” e permita que as pessoas “experimentem”
quem você é e o que você pode fazer por elas.
• Realize uma autoanálise para descobrir as suas características, motivadores, competências
e experiências.
• Tenha uma mentalidade de aprendiz para toda a vida. A maior parte da aprendizagem
vem de atribuições desafiadoras.
• Ao focar no seu próximo emprego, avalie a geografia, o tipo de empresa para a qual deseja
trabalhar e sua função e responsabilidades.
• Uma rede ( networking) é mais eficaz para se construir relacionamentos do que para encontrar
um bom emprego.
• Nunca minta ou exagere no seu currículo, tanto online como pessoalmente.
• Mantenha um perfil no LinkedIn e certifique-se de que sua presença online dá apoio à
sua marca pessoal.
• Evite os “pecados mortais das entrevistas”, que incluem mentir, derramar comida na
roupa, parecer desesperado, falar demais ou pouco, entre outros.

 

RESUMO

 

Sobrevivendo à triagem inicial

Os diretores de recrutamento descartam a maioria dos currículos não solicitados. As empresas

investigam os candidatos, verificando com rigor os antecedentes e realizando testes,

monitoramento de perfis sociais online e muito mais. As empresas eliminam os batedores

de ponto quando procuram candidatos especiais que se encaixem na sua cultura e tenham

paixão por seu trabalho. A seleção inicial de cargos elimina 98% dos candidatos porque as

más contratações custam às empresas tempo e dinheiro. “O custo de substituir um gerente

seis a 12 meses depois de ser contratado é igual a 2,3 vezes o salário anual da pessoa”.

 

Autoconsciência

Para avaliar a sua paixão pelo seu trabalho, pense na forma como você age profissionalmente.

Seja “autêntico”, crie “conexões” e permita que as pessoas “experimentem” quem você

é e as contribuições que você pode trazer para o ambiente de trabalho”. Os funcionários

sem paixão têm os dias contados. Eles estão no mesmo cargo há anos, mas não conhecem

os seus colegas na porta ao lado. Uma hora de almoço vira 90 minutos. Eles não participam

de reuniões ou chamadas de videoconferência. Eles usam o e-mail para adiar eventos

e decisões. Há cinco anos ou mais não sabem o que é uma promoção e são preguiçosos

ou acomodados demais para procurar outro emprego. Antes de sair à caça, pergunte-se: o

que você deseja?

 

Zach, um personagem fictício recém-contratado de uma startup, havia galgado sem problemas

a escada corporativa em grandes instituições financeiras. Apesar de ter sempre se

dado bem em corporações estruturadas, Zach se convenceu de que poderia se sobressair em

uma estrutura plana como a de uma startup. Logo no primeiro dia ele não se encaixou. Ele

gostava do horário flexível e da comida de graça, mas tinha dificuldades com a ambiguidade

do seu trabalho. Depois de menos de três meses, a empresa o despediu. Zach voltou

aos serviços financeiros, em um cargo menor. Após conquistar grande autoconhecimento a

duras penas, ele agora estava muito mais consciente dos seus impulsos internos.

Muitas pessoas superestimam os seus pontos fortes e subestimam as suas fraquezas. Eles

não gostam das autoavaliações ou criação de perfis propostos pelo RH. Os candidatos fortes

conseguem se adaptar; eles aceitam riscos e desafios. Eles se “apossam” dos seus pontos

fortes e fracos, conhecem os seus objetivos e são capazes de se apresentar bem.

 

Quatro Dimensões de Liderança e Talento

A firma de recrutamento de executivos Korn Ferry realizou milhões de avaliações com base

no seu modelo das Quatro Dimensões de Liderança e Talento (KF4D, da sigla em inglês).

O teste abrange quatro áreas cruciais:

 

1. Características – Isto inclui os seus traços de personalidade e capacidade intelectual.

Os traços são habilidades naturais, que podem mudar com o tempo. Embora os desejos

dos empregadores variem de acordo com o setor, eles buscam certos traços universais.

Eles querem envolver e inspirar pessoas capazes de influenciar os demais, executar, gerir

as ambiguidades e exercitar a visão estratégica.

 

2. Motivadores – Os seus motivadores podem ser específicos ou amplos. Pergunte-se: “O

que lhe estimula? Quais preferências, valores e motivações influenciam as suas escolhas

de carreira?” A sua identidade e circunstâncias imediatas moldam os seus motivadores

e também mudam com o tempo.

 

3. Competências – Envolvem as habilidades e comportamentos para realizar um trabalho.

Além das habilidades e técnicas funcionais, as competências incluem fatores menos

concretos, como a sua necessidade de equilíbrio, desafio, colaboração, independência,

poder ou estrutura. Os empregadores estão à procura de candidatos com habilidades

“interpessoais”, como desenvolver talentos, inspirar, gerir conflitos, entre outros.

 

4. Experiências – O que você já realizou? Quais atribuições ou funções você cumpriu?

Aprendizes ao longo da vida

A maior parte da aprendizagem ocorre no mundo real. Cerca de 70% da aprendizagem vêm

de oportunidades de desenvolvimento, como “tarefas de ampliação de horizontes”, enquanto

20% vêm de colegas e chefes e 10% de treinamentos e cursos. Embora seja importante

ganhar dinheiro, não aceite um novo emprego apenas pelo salário. Leve em conta o seu

crescimento profissional. Os aprendizes ao longo da vida são curiosos, assumem riscos e

experimentam diferentes táticas de estudo. Eles medem a sua aprendizagem objetivamente.

 

Focando no trabalho certo

Antes de comprar um carro, a maioria das pessoas faz algumas pesquisas e testa vários

modelos. Porém as pessoas procuram empregos sem terem a ideia de onde desejam trabalhar

ou a cultura corporativa ideal. Ao procurar um emprego, avalie a geografia, o tipo de

empresa e sua função e responsabilidades. Muitos candidatos dizem que estão dispostos a

“trabalhar em qualquer lugar”, até se arrependerem. Mary, uma executiva de Denver, foi

a Los Angeles para uma entrevista. Era um emprego dos sonhos. Ela disse ao recrutador

e aos entrevistadores o quanto amava a Califórnia. Ela foi chamada para ocupar a vaga,

e foi aí que os seus problemas começaram. Ela não tinha dito ao seu marido que o novo

emprego seria em Los Angeles; ele não queria se mudar. Meses depois, ela ainda estava em

Denver, mas separada. Fale com clareza sobre os seus planos às outras pessoas envolvidas e

conheça os seus limites geográficos. Verifique os custos de vida, moradia, escolas, horários

de deslocamento e muito mais.

Quando estiver planejando a sua próxima mudança de carreira, desenvolva metas e prazos

específicos. Peça feedback para verificar as suas habilidades. Por exemplo, depois de fazer

uma apresentação, pergunte a um colega o que ele ou ela achou. Quando tiver informações

suficientes, faça um plano. Vá atrás de tarefas que alarguem os seus horizontes. Leia, estude

e pratique. Procure medir o seu progresso. Desenvolva uma “lista de desejos”. Você

quer trabalhar em uma empresa pequena, média ou grande? Descreva o seu ambiente corporativo

ideal. Leve em conta o código de vestimenta, flexibilidade de horários, ambiente

do escritório, horas de trabalho, frequência das viagens de negócios e se tal empresa vai

motivar você. Conseguir um novo emprego pode demorar mais do que o esperado. Lide

com o estresse mantendo a positividade e utilizando práticas que ajudem você a permanecer

calmo, como se exercitar, respirar profundamente ou meditar.

 

Networking

A fim de construir e cultivar relacionamentos de negócios e laços de construção de carreira,

esteja atento às dicas a seguir:

 

• Ajude alguém à procura de um emprego oferecendo ideias ou contatos.

• Conecte amigos que partilhem interesses semelhantes, pessoal ou profissionalmente.

• Ajude os filhos dos seus amigos que se formaram recentemente na faculdade.

• Se você entender de mídias sociais, ofereça-se para configurar sites ou contas nas redes.

• Mantenha contato com blogueiros ou amigos nas redes sociais. Se você tiver um blogue,

entreviste especialistas relevantes.

• Felicite os amigos por suas conquistas e realizações profissionais.

• Convide colegas e amigos para eventos profissionais ou culturais. Sugira novos restaurantes,

livros, galerias de arte ou similares. Seja voluntário em uma instituição de caridade

ou evento comunitário.

• “Um networking fraco é pior do que não ter nenhum.”

 

Currículo

O seu currículo é parte de um conjunto maior que inclui a sua presença nas mídias sociais.

Os recrutadores e gestores de recrutamento gastam apenas alguns segundos olhando para o

seu currículo, então faça valer a pena. Cada pessoa que o lê tem uma interpretação diferente.

Alguns se concentram em palavras-chave; outros buscam experiências ou realizações específicas,

incluindo indicações de níveis crescentes de responsabilidade.

 

O currículo é uma forma de contar a sua história e se promover. Siga estas regras simples para torná-lo eficaz:

 

• Não minta ou amplifique a verdade.

• Explique as lacunas de tempo.

• Deixe espaço em branco e utilize marcadores e verbos de ação. Equilibre o tamanho e

os recursos da fonte. Nenhum formato de currículo, fonte, layout ou palavras-chave em

particular vai garantir automaticamente uma entrevista.

• Conte a sua história. Mostre a sua “marca”. A história contada pelo seu currículo é mais

importante do que o seu formato e atratividade.

• A menos que você esteja em uma profissão criativa, evite formatos fora do padrão.

• Contrate um profissional para criticar o seu currículo.

• Evite jargões exagerados, como “inovador”, “colaborador” ou “automotivado”.

• Esteja preparado para fornecer referências de pessoas que possam comentar com conhecimento

de causa a qualidade do seu trabalho.

 

Os currículos de profissionais de nível médio e mais experientes devem conter um resumo

da experiência profissional. Os profissionais de nível básico e recém-formados ainda não

têm experiência suficiente. O resumo profissional deve incluir palavras-chave que descrevam

as suas experiências e habilidades técnicas. Não liste “objetivos”. Na parte do meio,

liste a sua experiência e realizações em ordem cronológica inversa. Inclua todos os traba-lhos.

Guarde o máximo de espaço para o seu trabalho atual, o qual deve refletir cerca de

75% da sua experiência profissional. Conte três histórias. Cada história deve descrever um

desafio, a ação que você tomou para alcançá-lo e os seus resultados finais.

 

Presença online

Limpe os seus perfis nas mídias sociais. As empresas rejeitam candidatos por conteúdos

ou fotos impróprias, como aquelas que envolvem o excesso de álcool ou uso de drogas ou

comentários ofensivos. Saiba que os empregadores pesquisam os perfis nas mídias sociais.

Veja com que frequência você publica. Um engajamento excessivo nas mídias sociais diz

aos empregadores que você não está tão ocupado; um conteúdo escasso sinaliza passividade.

E tenha cuidado: Um simples tuíte pode custar o seu emprego. Os candidatos devem

manter um perfil profissional no LinkedIn. O site tem 500 milhões de membros em mais de

200 países e 24 idiomas. O seu perfil deve incluir uma foto sua relativamente recente, com

um sorriso e aparência profissional. Mencione o seu cargo atual com uma breve descrição

da sua função. Construa a sua marca com recomendações.

 

Pecados mortais das entrevistas

O primeiro e pior pecado é mentir, exagerar ou amplificar a verdade. Não diga ao gestor

de recrutamento que você ainda está no seu emprego se foi demitido. Mentir é uma tolice

porque o empregador vai verificar tudo o que você disser. O segundo pecado é se vestir de

forma inadequada para concorrer a um cargo. Evite roupas ousadas demais. Procure saber

se o código de vestimenta é profissional ou casual. Pesquise sobre a empresa. Conheça os

seus produtos, serviços, filosofia corporativa, perfis executivos e outros atributos. Se a vaga

surgiu por meio de um recrutador ou gestor de RH, descubra o nome da pessoa que vai

entrevistar você e pesquise sobre ele ou ela. Pense em assuntos relevantes para a conversa.

Deixar de detalhar as suas realizações passadas é outro pecado em entrevistas, mas não se

estenda demais. Faça perguntas. Não se mostre desesperado, mantenha o telefone desligado

e não coma ou beba durante a entrevista. Outro pecado mortal é não se preparar para uma

eventual entrevista pelo Skype. Verifique o seu computador e se vista adequadamente.

Uma entrevista deve ser uma conversa de duas vias, não um interrogatório. No começo,

você e o entrevistador devem estabelecer um relacionamento. No meio, responda e faça

perguntas; no final, o ritmo do entrevistador vai desacelerar. Reitere o seu entusiasmo pela

vaga e se despeça. Se a empresa estiver considerando você seriamente, alguém vai ligar

marcando novas entrevistas dentro de uma semana aproximadamente. Manter o entusiasmado

para todas as entrevistas na mesma empresa não é fácil, mas trate cada entrevista

como a primeira. Se você receber uma oferta de emprego, parabéns! Não negocie salário

ou benefícios antes de receber uma oferta formal e por escrito. Certas empresas negociam

benefícios adicionais, como licença de férias ou acordos de trabalho flexíveis. Algumas

pagam mais inicialmente; outras oferecem salários mais baixos com bônus de incentivo.

Pense sempre no seu próximo trabalho como um recomeço. Cause uma primeira impressão

positiva, continue aprendendo e trabalhando em rede, evite fofocas e trabalhe duro.

Torne-se indispensável, especialmente para o seu supervisor, e na hora de sair mantenha

as portas abertas.

 

Recomendação

Como CEO da Korn Ferry, uma firma de recrutamento de executivos, Gary Burnison entrevistou milhares de candidatos

a empregos e já viu de tudo. Ele coloca os seus conhecimentos em prática para lhe mostrar como conseguir o seu

próximo emprego. Não perca tempo pesquisando vagas online e enviando currículos. Para encontrar o seu lugar no

mundo corporativo e desenvolver a forma ideal de se apresentar, olhe para dentro de si mesmo. Analise os seus pontos

fortes, pontos fracos, motivações, comportamentos e traços de personalidade. Burnison oferece histórias engraçadas

e ponderadas sobre o que não fazer quando se está criando uma rede de relacionamentos, procurando emprego, indo a

entrevistas e muito mais. A getAbstract recomenda o manual do autor para candidatos a emprego em todos os níveis.

 

Autor: Burnison, Gary. Lose the Resume, Land the Job. 2018. Disponível na revista GetAbstract.

Avenida Osvaldo Reis, 3281 - Sala 1108

88306-773 - Praia Brava – Itajai SC
© 2014 Zuni-Tec Tecnologias - Todos os direitos reservados

47 3264.2000 | 9 9914.5382